Fontes de energia no norte

As principais fontes de energia elétrica na Região Norte do Brasil são usinas hidrelétricas e outras fontes renováveis. Paulo Gomes, o vice-presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte, diz que as energias são recursos importantes no combate contra o aquecimento global. Contudo, a construção de tais usinas é motivo de severas criticas por parte de ecologistas pelo mundo inteiro, já que, para que haja essa construção é necessário que sejam devastadas enormes quantidades de árvores, provocando a extinção de grande variedade de mamíferos, aves, peixes e insetos, muitos dos quais desconhecidos pelos cientistas, além de interferir na vida de grupos indígenas

Em 1978, começaram a ser construídas usinas hidrelétricas na região. Atualmente várias estão concluídas, e muitas outras projetadas. Entre as que estão em funcionamento estão Tucuruí e Curuá-Una, no Pará; Balbina, no Amazonas; Samuel, em Rondônia; Coaraci Nunes, no Amapá, Estreito, Cana Brava, Serra da Mesa, Peixe Angical em Tocantins. A UHE é a primeira hidrelétrica brasileira privada, construída com auxílio financeiro público, erguida com total desrespeito à população atingida. Atualmente estão sendo construídas usinas hidrelétricas de Santo Antônio e Jirau, que terão, juntas, uma capacidade instalada de 6.450 MW, o que seria, aproximadamente, cerca de metade da energia gerada pela UHE de Itaipu. Os especialistas da área apontam a construção das usinas como uma solução para os problemas de racionamento de energia do país. Apesar da polêmica criada em torno das obras por ambientalistas e organizações não-governamentais, estas usinas serão as primeiras da Amazônia a utilizar um sistema de turbinas chamado “bulbo”, o que não requer grandes volumes de água, já que as turbinas serão acionadas pela correnteza do rio e não pela queda d’água. Assim, o coeficiente de eficiência energética das usinas será superior, por exemplo, ao da UHE de Itaipu, que é considerada um modelo para o setor.

Usina de Santo Antônio, em construção

No Amazonas, dentre as diversas fontes de energia sustentável que ele possui, a biomassa é, segundo pesquisadores, a mais promissora. Adotando custos menores de operação e manutenção, os gaseificadores produzem energia a partir de resíduos abundantes na Região Norte, que são rejeitados pela agroindústria. Depois de queimado no gaseificador com pouco oxigênio, o resíduo vegetal com uma combustão incompleta produz um gás de síntese que pode alimentar motores e produzir eletricidade. Usando a biomassa como investimento sustentável, o Amazonas gera energia elétrica e aumenta a criação de emprego e renda.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s